segunda-feira, 24 de julho de 2017

Fechamento junho/17: R$ 16.300

Como já acabou meu dinheiro, e esse mês não vai ter aporte novo, resolvi antecipar o fechamento do mês de julho, portanto vou publicar os resultados. Um leitor me pediu esses dias para que eu voltasse a publicar a carteira, então aqui vai a resposta ao pedido....

Como já havia comentado em uns posts atrás, meu total investido está andando de lado desde abril, às custas de meus investimentos não estarem tendo aquela rentabilidade maravilhosa que eu gostaria. Lembro que tenho mantido aportes constantes todos os meses, então "andar de lado", na realidade significa que meu rendimento tem estado negativo há varios meses.

Quanto ao meu padrão de aportes, apesar de manter um volume de aportes que faria inveja a muitas pessoas, ando meio desanimada ultimamente, e meus gastos se elevaram significativamente de uns meses pra cá, talvez acompanhando a rentabilidade negativa dos investimentos. Afinal de contas, quando a gente vê tudo despencando começa a achar meio sentido colocar mais e mais dinheiro em algo que parece um saco sem fundo... ou uma máquina de triturar dinheiro, né?

Gatinha Investidora investindo seu dinheiro
De qualquer forma, como meu orçamento é muito enxuto, ainda tenho conseguido manter uma média de economia de 35% a 45% de meus ganhos líquidos, o que obviamente não é nada mau para alguém que paga todas suas contas e não depende de ninguém, né? Os "estudiosos" do sucesso pessoal dizem que a gente deve guardar 10% daquilo que ganha... então no meu caso se continuar assim terei sucesso triplicado ehhehe.... Bem... isso utilizando o conceito bastante questionável de que ter sucesso é ter dinheiro, óbvio.

A questão toda é que eu ano passado mantinha meus aportes em cerca de 50% do meu ganho, então esses 15% a menos estão se transformando em gastos.

Isso é mau? Definitivamente, não é tão mau assim, pois tenho comprado um montão de coisas que, de certa forma, tem me deixado mais feliz. Vou evitar de entrar de novo naquela eterna discussão sobre o que é felicidade, mas se quer saber acho que estes gastos a mais estão me deixando mais feliz sim senhora. Primeiro porque com meus investimentos rendendo negativo, eles deixaram de ser uma fonte de alegria per se. Assim, investir menos e reservar uma parte do dinheiro para torrar me gerou uma fonte paralela de felicidade, pois estou podendo comprar muitas coisas legais para mim, veja só: nos últimos meses comprei um montão de calcinhas e meias novas, troquei meu óculos de grau (que já estava fraco), comprei um fone de ouvido novo (Microsoft LX 3000), uma TV nova 32 polegadas (usadinha, mas funciona bem), um perfume Gabriela Sabatini e um Salvador Dali Laguna, dois brincos, fiz luzes no cabelo, e tenho almoçado fora bastante. Pode parecer besteira, mas essas pequenas coisas deixam minha vida bem mais leve. 

O lado bom de estar apanhando nas finanças, é que de certa forma perdi o medo de perder dinheiro. Quando tudo estava rendendo de forma espetacular em 2016 eu estava sempre ansiosa e nervosa achando que aquilo poderia acabar um dia, ou que eu pudesse perder dinheiro... depois que comecei a perder "de verdade", me sinto de certa forma como "vacinada" contra perdas, e agora consigo ter muito mais paz para investir sem ter que ficar freneticamente olhando o HB pra ver como andam as taxas. Sinceramente, acho bem melhor esse novo gatinha way of life

É estranho, porque a gente às vezes tem tanto medo de que algo possa acontecer, mas quando finalmente acontece, até que não é tão ruim, sabe? Talvez seja por isso que o povo diga tanto que "preço não importa". No final das contas acho que não importa tanto assim mesmo, o negócio é continuar aportando. Como diz o capitão do navio, o segredo é estar sempre aportando.

Refiz alguns cálculos sobre a quantidade de dinheiro que preciso para atingir a independência financeira, e o número mágico para mim é R$ 350.000, ou seja, 200x meus gastos. Essa fórmula de calcular a independência financeira em 200 vezes os nossos gastos, apesar de parecer "supersimplificada", não é tão má assim; afinal de contas, basta conseguir 0,5% ao mês de rendimentos reais que a gente alcança nossa renda, né? E 0,5% am é só 6% ao ano, coisa que não está fora da realidade não. 

Considerando que ando atolada nos R$ 16.000, posso dizer que já atingi  4,5% da independência financeira. Bem meia boca para quem já está investindo há 1 ano, né? Ainda assim, navegar é preciso... continuo continuando, rumo à minha tão sonhada independência financeira!!



sexta-feira, 21 de julho de 2017

Investir em bitcoins vale a pena? Descubra a resposta....

Tenho visto muita gente dizendo que gostaria de investir em bitcoin, e até mesmo algumas propagandas falando que bitcoin é uma forma de lucro rápido... Mas você realmente sabe o que é um bitcoin, e quais seriam os riscos de se "investir" dinheiro nisso? É hora de aprender um pouco mais sobre o que é essa tal "bitcoin". Eu tenho lido bastante sobre essa moeda virtual, e participei de certa forma dos episódios iniciais do "lançamento" da bitcoin, e venho acompanhando de lá para cá o desenrolar da história, então posso dar uma opinião bastante pessoal e íntima sobre a coisa toda. Vou evitar de fazer qualquer tipo de pesquisa adicional para fazer a postagem, para manter a linha "pessoal" da coisa. Existem um monte de sites técnicos sobre bitcoins, com textos traduzidos do inglês, mas esse aqui não é um deles...  Praticamente tudo que você lê nesse post está saindo direto da minha cabecinha, e portanto vai ter tudo de bom - e de ruim - dessa forma de abordagem. 

A história da Bitcoin


 No ano de 2008, surgiu em um fórum de mensagens sobre criptografia o conceito do que seria uma "criptomoeda" chamada bitcoin. Através de uma série de mensagens postadas por um pseudônimo chamado Satoshi Nakamoto, foi apresentado um sistema de software aberto, criando finalmente o que seria chamado de "bitcoin". Até hoje não se tem certeza da real identidade de Nakamoto, porém sempre surgem novos "candidatos" na rede.

Apesar de ser um pouco complicado de explicar como funciona, a bitcoin é uma "cripto-moeda". Ela funciona como um grande código aberto, como uma rede peer-to-peer, pública, e descentralizada, formada por "pecinhas" que significam cada bitcoin.

Para entender como isso funciona, imagine uma grande esfera, formada por pecinhas de quebra-cabeça. Cada pecinha é uma bitcoin. Mesmo que a pecinha esteja com o seu proprietário, ainda assim ela faz parte da grande rede, ou esfera de bitcoins. Cada bitcoin existe, tanto individualmente, quanto como parte da grande rede.

Modelo ilustrativo da "esfera" de bitcoins
A diferença é que essa "esfera de bitcoins" não existe de forma física, ela é virtual, formada apenas por números, por códigos de computador, como se fosse uma matriz:

Como se trata de uma rede pública, qualquer pessoa pode ter acesso a essa esfera, podendo "colher" bitcoins como se fossem frutas em uma árvore. A dificuldade para se fazer isso é que os números não estão "abertos", mas sim estão criptografados ("protegidos por senhas"), daí a origem do nome cripto-moeda.
Para poder "colher" uma bitcoin, é preciso antes desobrir a senha (quebrar a senha), o que envolve um grande trabalho computacional.Quando foram lançadas em 2008, obviamente as bitcoins não tinham valor algum - eram apenas uma idéia lançada por um usuário anônimo de fórum. Com o tempo, a idéia "pegou" e alguns sites e pessoas passaram a aceitar pagamentos em bitcoins. No início, cada bitcoin valia muito pouco, algo como R$ 1,00 porém com o tempo elas foram se valorizando cada vez mais conforme eram mais e mais aceitas para comércio. 

Uma vez que as bitcoins passaram a ter valor comercial, algumas pessoas decidiram fazer colheita em massa de bitcoins da esfera de bitcoins, atividade que passou a ser conhecida como "mineirar bitcoins", ou "bitcoin mining". Estes mineiradores compravam computadores potentes, e os deixavam rodando 24 horas por dia tentando quebrar a senha do máximo de bitcoins possíveis, para então comercializá-las. Eles descobriram que as placas de vídeo fazem cálculos de forma muito mais eficiente do que os processadores, e começaram a montar verdadeiros monstrengos, ou computadores com várias placas de vídeo rodando simultaneamente apenas para exercer a atividade de mineiração de bitcoin, os chamados "bitcoin mining rig":

Servidor dedicado a mineiração de bitcoin - "mining rig"
O único limite para a atividade dos mineiradores de bitcoin era o consumo de energia elétrica, que servia como "teto" para a atividade.

Uma questão importante no processo de mineirar bitcoins, é que quanto mais se minera, mais difícil vai ficando para conseguir encontrar novas. Assim como em uma mina de ouro "real", as bitcoins vão ficando cada vez mais no fundo da mina, e a extração se torna cada vez mais difícil. Portanto, para cada bitcoin mineirada, é um pouquinho mais difícil conseguir extrair uma nova da esfera. Esse sistema foi incluído pelo inventor da rede que previu que os computadores ficariam cada vez mais potentes e se não fosse criado um sistema similar, em poucos anos haveria excesso de bitcoin no mercado e o valor iria afundar. 

A bitcoin como investimento 

Investir em bitcoin não é como investir em ouro, dólar, ou qualquer outro produto. É um investimento totalmente único em suas características, o que traz mais e mais riscos para o investidor, que não deve se iludir com o canto da sereia. 

Existem diversas empresas que vendem bitcoins mundo afora. Comprar uma não é difícil. Após uma pesquisa sumária sobre as empresas que vendem o produto, você paga com cartão de crédito e recebe a "senha" de sua bitcoin. Essa senha é a chave de acesso da bitcoin, e pode ser mudada, ou vendida para outras pessoas ou empresas. 

Os grandes riscos de se investir em bitcoin

Veja aqui alguns riscos que posso pensar sobre esse investimento.

1 - Não existe nenhuma regulação ou controle - Por se tratar de um produto criado de forma anônima, não há nenhuma empresa ou governo dando garantias ou lastro. Não há controle dos bancos centrais ou de empresas, e se a bitcoin "acabar" de uma hora para outra não há para quem recorrer. Também podem existir inúmeras fraudes ou golpistas no processo de compra e venda, já que tecnicamente para os governos a bitcoin "não existe". 

2 - Uso de bitcoins por traficantes e terroristas - Justamente devido à falta de regulação e controle, muitos criminosos tem utilizado a bitcoin para fazer transferência ou reserva de dinheiro oriundo do crime. Essa forma de lavagem e ocultação de dinheiro sujo tem chamado a atenção das autoridades, e isso pode fazer com que governos de países importantes simplesmente "proibam" o uso da bitcoin, fazendo seu valor despencar. Basta ver um episódio parecido que aconteceu recentemente, em que a nota de 500 euros foi banida de circulação porque estava sendo utilizada por traficantes para transportar e armazenar dinheiro sujo de forma compacta.
3 - Risco de tributação - O governo brasileiro está louco de vontade de criar um imposto sobre a bitcoin... que provavelmente seria de 15%, igual ao do dólar. Da mesma forma que esse fantasma ronda os FIIs, ele também ronda as bitcoins...

4 - Risco de "explosão da mina de ouro"  - Quando Nakamoto criou a bitcoin, obviamente antes de criptografar e liberar o código, ele reservou para si alguns bilhões de bitcoins, na esperança de que o produto "pegasse" e ele ficasse bilionário. Como isso realmente aconteceu, em algum lugar do mundo hoje existe um bilionário anônimo com um estoque gigantesco de bitcoins. Se essa pessoa for hackeada ou de alguma forma suas bitcoins cairem "na net", o valor do produto como um todo pode derreter. 

Conclusão

De todos os riscos que coloquei acima, sem dúvida nenhuma o maior de todos é o risco de proibição. Isso realmente pode acontecer a qualquer momento, já que a bitcoin é muito usada para venda de drogas e comércio de armas e produtos ilegais na chamada "deep web".  Além disso, o uso de bitcoins atinge diretamente o poder de controle e tributação dos governos e grandes agentes financeiros, sendo portanto uma grande "pedra no sapato" para gente importante. Normalmente quando isso acontece, após algum tempo o produto é proibido ou então é regulado com os devidos impostos, tal como aconteceu com o antigo "Napster", que distribuía música pirata sob forma de MP3 que foi regulamentado e se transformou em um serviço de streaming pago. 
Se só isso já não fosse suficiente, por se tratar de um investimento em renda variável, as oscilações podem ser muito grandes por si só, tanto para mais como também para menos.  Portanto, não recomendo de forma nenhuma colocar dinheiro bom em bitcoin, por mais que você fique "tentado". Simplesmente o risco não compensa. Se quer meu palpite, se você tem desejo de grandes aventuras e grandes ganhos, existem alternativas muito melhores sem precisar ir muito longe, como por exemplo dólar, ações, e opções. 



quinta-feira, 6 de julho de 2017

Nova opção de investimento: Banco BMG

Banco BMG é confiável? É sim, gente, é uma instituição séria que está fazendo a alegria de muita gente. Como a maioria das pessoas já sabe, o mundo dos investimentos financeiros é baseado em uma tríade investidor - instituição financeira- tomador de empréstimo. O investidor repassa o dinheiro para o banco em troca de juros "moderados", e o banco repassa por sua vez para o tomador de empréstimos a juros altos, ficando com a diferença como lucro. Todo mundo fica feliz, e é um negócio do tipo win-win-win: Quem precisa de dinheiro tem acesso a um crédito pessoal para pagar suas contas; quem possui dinheiro recebe um bom juro sobre seu capital... e o banco, obviamente, fica fazendo o meio de campo e recebendo por isso.

Tenho visto o banco BMG como uma boa oportunidade para aqueles que querem investir recebendo rendimentos altos, sem para isso perder a proteção do FGC (fundo grantidor de crédito). Com uma política de empréstimos agressiva, emprestando a juros relativamente altos para quem está quebrado, o banco tem conseguido pagar para nós, os investidores, um bom retorno, estando atualmente com uma das melhores taxas do mercado, confira só:

Como dá pra perceber, as taxas deles estão super boas... é um ótimo negócio pra quem é "taxeiro", como eu. Vale lembrar que existe uma variação da taxa para mais ou para menos de tempos em tempos, portanto antes de investir é bom conferir como estão as taxas do dia, já que não tenho como ficar atualizando o post todos os dias, né? =^.^= 

Para o CDB, eles aceitam investimentos com um mínimo de 5 mil reais, o que é salgado para muita gente, inclusive eu. Se você tem menos dinheiro, o jeito é ficar no Banco Sofisa ou Intermedium (Inter) mesmo, que aceitam aportes iniciais a valores tão baixos como 1 real e tem taxas boas também. Pra quem quer só investir uns trocados, o Sofisa é mais prático... sendo o Intermedium mais indicado para quem quer ter uma conta bancária completa, com direito a cartão e tudo mais. Vale lembrar que Intermedium é o nome "completo" do banco Inter, tá?

Fiz uma pesquisa para descobrir como o BMG consegue nos pagar taxas tão boas, e cheguei à seguintes conclusões. Primeiro, eles tem grande rede de lojas que oferece crédito consignado e empréstimos sem consulta ao SPC e SERASA, particularmente para aposentados, pensionistas e funcionários públicos civis e militares. Com um marketing bastante agressivo (veja a foto acima com o Lima Duarte), através da rede Help! e de lojas conveniadas, o BMG consegue tirar o couro dos quebrados de forma bastante eficiente. Afinal de contas, pra emprestar dinheiro para alguém negativado no SERASA, não vai ser com taxinha de mãe-pra-filho, né? Fiz uma simulação de emprestar os mesmos R$ 5.000, e a taxa de juros para empréstimo via BMG Card ficou em cerca de 60% ao ano... nada mau, hein? :-)

Lucro do banco BMG:       Fonte - Bancodata
Como sempre faço antes de investir em algum lugar, dei uma passada no site do BancoData para ver como está o balanço do banco... e não está mau não. Desde 2014 ele vem apresentando lucros positivo (apesar de decrescentes), e o Rating do banco pela classificadora de risco Fitch e pela Moody's, apesar de não ser uma Brastemp, ainda não se enquadra no grau especulativo, ou seja, ao meu ver dá pra encarar:

Uma coisa que desabona o banco, é o fato de que ele esteve envolvido no escândalo do mensalão, Em setembro de 2012 quatro diretores do banco BMG foram indiciados pela procuradoria da república. O Ministério Público Federal alegou que o banco liberou dinheiro mediante empréstimos simulados ao PT, entre outros. Na época o banco acabou por não entrar no julgamento do STF, pois foi decidido que as relações entre o banco e o governo deveriam ser melhor investigadas.

De uma forma ou de outra, se você quiser investir  com eles, a melhor forma é o cadastro direto com o banco, ao invés de usar intermediadores (como corretoras), pois em geral as corretoras sempre comem um pouco da taxa a título de spread (comissão oculta). O site deles é https://bmginvest.bancobmg.com.br, então não tem muito segredo não. 

Depois que você faz o cadastro, eles ficam mandando e-mail informativo diariamente com as taxas do dia, o que é uma conveniência. Vale a pena destacar também, que no meu caso, que fiz o cadastro mas não investi nada, depois de 1 semana mais ou menos me ligou uma "assessora" deles perguntando se eu não ia investir... situação meio desagradável, né? Principalmente porque eu não estava investindo pela simples falta de dinheiro mesmo, e tive que ficar explicando para a bendita que estava quebrada, o que para mim foi um pouco constrangedor. 

Uma outra alternativa para abrir a conta com eles, é entrar em contato diretamente com a assessora via e-mail, pedindo informações para abrir a conta. Ela faz o processo todo por e-mail (você envia fotos dos documentos, depois ela retorna com um formulário para você assinar), o que é bem rápido e sem burocracia e dificuldades como temos notado acontecer no Sofisa ou no Inter. 

Entrei em contato com uma moça chamada Talita Luiz (talita.luiz@bancobmg.com.br), que me respondeu da seguinte forma:

Olá Michelle, bom dia !

Para abertura da sua conta precisamos que envie cópia dos seguintes documentos :

   - CPF e RG
   - Comprovante de residência
           Informações no documento anexo. Qualquer dúvida, estou à disposição para falarmos.
Att

Talita Luiz, CFP®
Banco BMG
Superintendência de Captação
Tel: (11) 2847-7634 / (11) 9.5031-2181
Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.477 – 9º andar
E mail: talita.luiz@bancobmg.com.br
Uma coisa que me deixou bastante impressionada, foi o fato de que ela possui a dificílima e caríssima certificação "CFP - Certified Financial Planner", que é um título internacional de planejador financeiro,  que pouquíssima gente tem aqui no Brasil. Portanto esta moça que me respondeu os e-mails de forma tão humilde e singela, está na realidade habilitada para fazer gestão de grandes fortunas, wealth management, gestão sucessória, planejamento financeiro para aposentadoria, e tudo mais que você possa precisar. Ponto para o BMG, que nos oferece profissionais altamente qualificados sem custo adicional, né? Para fazer esse serviço bastava alguém com o ultra-básico CPA-10 (certificação normalmente usada por gerentes de bancos e funcionários que vendem produtos financeiros)...

Sendo assim, minha conclusão - ou melhor, o meu palpite - é que o banco BMG é um lugar muito bacana para se investir, e todos os investimentos deles contam a garantia adicional do FGC, o Fundo Garantidor de Crédito, para investimentos de até 250 mil por CPF.

Agora vem uma surpresa... deixei a melhor parte para o final!!! Uma coisa que vale a pena falar, é que apesar de eles não divulgarem, existe um produto oculto, quase que um "easter egg", que é o CDB escalonado, com rendimentos de até uns 117% do CDI e liquidez "diária" (na verdade não é liquidez diária, mas sim liquidez bimestral, com resgate possível apenas em datas específicas a cada 2 meses). Pra ter acesso a esse produto "oculto", tem que pedir via e-mail diretamente para a funcionária, tá? Você não vai encontrar informações sobre o CDB escalonado na plataforma online.


Legal, né? Por hoje era isso... espero que vocês tenham gostado!! A pedidos, deixei essa postagem em um tom mais informal, mas no fundo é a mesma Michelle de sempre.... afinal de contas não dá pra esquecer que por trás da blogueira existe uma pessoa também, cheia de medos, inseguranças, brigas familiares, dificuldades no trabalho, cachorro doente, e tudo mais que você possa imaginar...

Beijinho, gente!!  #PartiuBMG

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Minha experiencia investindo na BIVA - Parte 2


Continuando a série "eu investindo na BIVA", vamos hoje para a segunda postagem, narrando todos os detalhes sobre como é investir com a BIVA.  Para quem quer conhecer o que é a BIVA ou perdeu as postagens anteriores e deseja conferir, deixo abaixo os links sobre o assunto que já publiquei anteriormente:


BIVA: Vale a pena o risco? É confiável? - Análise Atualizada
Teste: Investi na BIVA! E agora, gente??! - Parte 1
BIVA - Há risco de fraude com empresas laranja? 

 Sei que finalmente foi aceito meu investimento na BIVA. O tempo para eles confirmarem o recebimento do TED foi significativo: cerca de 24 horas. Para quem sofre de ansiedade crônica como eu, dá pra ter uns 2 tipos de ataque cardíaco nesse tempo. Recebi um e-mail no seguinte teor, dizendo que meu investimento foi aceito:

Olá Michelle,
Recebemos com sucesso seu investimento no valor de R$5.000,00 apoiando as empresas do portfólio Bellatrix.

Agora é só aguardar o término da captação. Todos os investidores tem 1 dia útil, após realizarem a intenção de investimento, para transferir os valores à nossa Instituição Financeira Parceira.

Por mais que não seja o que queremos, algumas vezes temos investidores que infelizmente não transferem os recursos e por conta disso reabrimos os Portfólios na plataforma. Nesses casos, os investidores ficam 60 (sessenta) dias impossibilitados de investir na Biva.

Dessa forma, o prazo limite para a captação final de investimentos para o portfólio Bellatrix termina em 7 dias, 13 horas e 30 minutos, podendo ocorrer antes. Assim que captarmos 100% dos recursos, você primeiro será informado disso e em seguida receberá em até 5 dias úteis em seu e-mail o comprovante do investimento com o nº do RDB gerado em seu nome e o cronograma de recebimento das parcelas.
Caso o portfólio não seja captado com sucesso, entraremos em contato para que você receba o valor do seu investimento de volta.


Agradecemos sua confiança na Biva e ficamos à sua disposição.
Abraços,
Seus amigos da Biva
Já não gostei desse e-mail por causa do caráter informal demais. Meus amigos da BIVA? Ué... eu não tenho amigos na BIVA, para mim é uma empresa onde invisto meu dinheiro. Esse excesso de intimidade para mim gera insegurança, afinal de contas até onde eu sei os amigos muitas vezes não pagam dinheiro que a gente empresta para eles, né? Eu preferia um tom mais formal e sério, que para mim passaria segurança quando coloco uma quantidade tão grande (para mim) de dinheiro em um negócio. Ponto negativo para a BIVA.

Depois, ao logar no site da BIVA, vi que meu status foi aceito, e já consta meu investimento, conforme a imagem que havia publicado lá no comecinho da postagem.  Agora devo ficar aguardando receber o comprovante do RDB, que será emitido pela Socinal.

Ao entrar no site hoje, também aproveitei para dar uma olhada no questionário de Suitability (adequação) de investidor deles... e tive uma surpresa:

 
Captura de tela do site da BIVA

 Ao entrar no site hoje, aproveitei para dar uma olhada no questionário de Suitability (adequação) de investidor deles... e tiver uma surpresa: no formulário o investimento é descrito como "Risco Agressivo". Mas engraçado é que no "arriscômetro" do portfolio, o medidor mostrava risco baixo-médio. Esquisito, né? Cada vez mais acho que a BIVA tenta passar ao investidor uma impressão de segurança maior do que a real. Pra tirar a teima, fui reler meus próprios posts sobre a BIVA, e olha que coisa esquisita encontrei: 


 Em uma postagem de uns meses atrás sobre a BIVA, eu colei uma captura de tela do gráfico de risco do portfolio "Aldebaran", e o gráfico era mostrado utilizando cores azul até amarela para indicar o risco. Já entrando no mesmo portfolio na data de hoje, vemos que o gráfico agora mostra somente cor azul, conforme se vê abaixo...


Como dá pra perceber, a nova versão do gráfico apresenta duas diferenças: Primeiro, a taxa de juros passou de 201% do CDI para 221% do CDI. Até aí tudo bem, porque com a queda da SELIC a taxa pré-fixada da BIVA hoje em dia representa uma porcentagem maior do CDI. Mas o uso de tons de azul para indicar o risco para mim é algo que deve ser olhado com muita atenção, pois se houve uma mudança deliberada na apresentação visual, qual teria sido esse motivo? Principalmente quando falamos de um investimento com perfil "Agressivo", usar apenas tons de azul soa esquisito. Ao meu ver, para o visual ficar correto, seria necessário começar com um tom azul à esquerda, indo até vermelho à direita, e o indicador nunca poderia ficar abaixo da cor amarela. Veja que na versão "antes" ele ainda ficava entre o azul e verde.... 

De qualquer forma, seguimos seguindo, e assim que eu tiver novas novidades publicarei no blog as minhas novas impressões pessoais... 

Beijinhos!!

<< VOLTAR PARA PARTE 1 DA MATÉRIA                       PARTE 3 >> (em breve)

terça-feira, 4 de julho de 2017

Teste: Investi na BIVA! E agora, gente??!

O povo quer mesmo é ver sangue. Tenho acompanhado alguns blogs e canais do youtube, e percebo que os que fazem mais sucesso são aqueles em que o cidadão faz um monte de coisas que ninguém tem coragem de fazer...  Vi desde um tal de "bluezão" comendo baratas vivas, até um maluco que se enviou dentro de uma caixa pelo correio....

Seguindo portanto essa linha, percebi que eu ficar só falando sobre a BIVA sem nunca ter sentido de perto o que é colocar o dinheiro lá estava ficando vazio demais. Para animar um pouco o blog, e dar um ar mais "científico" à coisa toda, achei que era hora de fazer teste com um investimento real na BIVA. Assim eu poderia parar de dar apenas as opiniões genéricas e mastigadas dos outros, e poderia dar uma idéia real de como a coisa funciona.

Se você ainda não sabe o que é a BIVA, já aviso que é uma empresa que oferece investimentos prefixados com garantias mínimas, porém altas taxas de rentabilidade. Se você quer saber mais detalhes sobre o modelo do negócio, confira nesse outro post onde explico tudo. Se você já sabe o que é BIVA, e quer apenas saber como é a sensação de investir com eles... basta continuar lendo!

Sendo assim, esse post é um relato de uma experiência real sobre como é investir na BIVA... e será atualizado ao longo dos dias conforme coisas novas forem acontecendo. Legal né? Vamos lá!! Vem comigo que no caminho eu te explico!! =^.^=

1 - Começando pelo começo: O cadastro na BIVA

Quando a gente entra no site pela primeira vez, faz aquele cadastro. Ao tentar fazer um investimento eu descobri que o cadastro simplificado apenas permite acesso ao site, mas para investir dinheiro "de verdade" você precisa completar o cadastro. Vai ter que enviar cópias dos documentos de identidade e comprovante de residência, além de responder ao questionário de "suitability" de investidor.  Até aí tudo bem, afinal de contas, se o negócio é sério é importante que as informações sejam de alguma forma certificadas, né?

2 - Segundo passo: Escolhendo seu portfolio para investir

Essa parte é a mais fácil. Só havia um portfolio para investir, então teve que ser esse mesmo. Uma das coisas que eu sempre ouvi falar sobre a BIVA é que para conseguir investir era necessário entrar no site no exato minuto do lançamento dos portfolios, e clicar freneticamente no botão de investir para garantir a vaga, que esgotaria em poucos segundos. Pelo menos no meu caso isso não aconteceu, foi só entrar no site e havia um portfolio parado aguardando meu investimento. Acredito que conforme a BIVA expande seu negócio e aumenta o porte de sua captação, vai ficando mais dificil conseguir investidores tão rápido.  



Minha escolha foi o portfolio Bellatrix, para o qual eu já havia recebido uma propaganda por e-mail uns dias antes:


Como sempre, eles contam uma historinha "legal" sobre a origem do nome, como eu já havia comentado num outro post.
 Guerreira? Acho que guerreira sou eu, que vou entrar nessa peleja com a BIVA :)... A promessa é essa: 221% do CDI. Será que vai dar certo? Bem, isso eu não tenho como saber, né? Quando cliquei neste portfolio, abriu uma tela com um gráfico informando a rentabilidade prevista.

Esse gráfico mostra uma linda linha reta, que mostra que eu "devo" receber R$ 6091 após 24 meses. Antes de fazer o investimento, fiquei pensativa sobre um alerta que postaram num fórum esses dias, justamente sobre esse portfolio Bellatrix:

"Me preocupou muito na Biva esse último portifólio (Bellatrix). Não apenas por ser um comensal da morte, mas pela presença dessa empresa Frig West. O nome não me era estranho, e descobri que ela também recebeu empréstimo no portifólio Altair. Até aqui, tudo bem, mas o que me incomodou é o fato do endividamento da empresa não ter sido atualizado. No portifólio Bellatrix, mais recente, é mostrado o endividamento até 12/2016, sendo igual ao do portifólio Altair: R$5.741.694,00. Utilizar a mesma avaliação poucos meses depois ainda não é tão grave, mas fazer isso quando notadamente é conhecida uma nova dívida de mais de meio milhão, pra mim, é no mínimo temerário."
Como meu investimento faz parte de um "experimento científico" em prol do blog, decidi ignorar esse aviso. Ainda assim, procurei na tela algum lugar em que me alertasse dos riscos do negócio, com avisos do tipo "não há garantias", ou coisas como "rentabilidade passada não significa rentabilidade futura", mas em uma olhada sumária na tela não se vê nada parecido. Um gráfico parecido com um velocímetro me informava sobre os riscos do negócio:

A minha impressão ao olhar esse "medidor de risco" é que ele é enganoso. Se eu fosse uma investidora totalmente leiga - o que obviamente não é o caso - creio que teria a impressão de que o investimento na BIVA é de baixo risco, e que o retorno é garantido de 221% do CDI. Um detalhe muito miportante nesse gráfico deles chama a atenção para um leitor atento, devido ao uso "inteligente" das cores na comunicação gráfica. Ao contrário do que é praxe em lâminas e prospectos, eles não usam as cores padrão "heatmap", que coloca os maiores riscos em vermelho. Até em placas de trânsito se vê esse padrão, mas não foi o caso na BIVA. O uso exclusivo da cor azul  pode demonstrar uma intenção da empresa de evitar expor os reais riscos do negócio.

Usar essas cores seria mais "justo"
Mesmo a marcação "alto risco" tem a cor azul, que usualmente denota um risco "baixo". Se você é adepto das teorias da conspiração, pode incluir mais essa em sua lista: o gráfico do indicador de risco da BIVA passa maliciosamente uma imagem subliminar de segurança acima da realidade. Olhando para esse indicador de risco da BIVA me fez lembrar de uma "ilusão de ótica" que frequentemente é postada no Facebook e que gera a maior confusão ao se ler:

Indicador de risco da BIVA parece com essa imagem...


3 - Fazendo o investimento via TED

Cliquei no botão "investir", e apareceu uma imagem me informando que deveria fazer um TED para a conta deles, e que após confirmado o depósito meu investimento seria confirmado.

Também recebi um e-mail falando que deveria fazer o depósito:

Olá,  Michelle

Parabéns por participar deste movimento inovador conosco!

Sua intenção de investimento de R$5.000,00 nas empresas do portfólio Bellatrix foi registrada com sucesso e o processo de investimento já está quase completo.

O passo final é a transferência dos R$5.000,00 para a conta bancária da operação. Feito isso, confirmaremos o seu investimento e assim que o empréstimo for totalmente financiado você receberá: (i) a confirmação do recebimento do seu aporte, (ii) o resultado da captação do Portfólio e (iii) os dados referentes ao seu investimento através da plataforma Biva.

Lembramos que é necessário que a transferência seja feita da conta cadastrada e de sua titularidade.
Dados da conta bancária para TED ou DOC:
 
R$5.000,00
341 - Itaú Unibanco S.A.    
Agência 4563      Conta Corrente 57877-4 Favorecido SOCINAL S.A. - CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTO CNPJ  03.881.423/0001-56
O investimento mínimo da BIVA é de R$ 5.000, o que é uma quantia relativamente alta para mim. Como obviamente não tenho tanto dinheiro dando sopa, tive que fazer uma força-tarefa para angariar a grana.  Juntando a primeira parcela de meu décimo terceiro, férias, resgate de um CDB com liquidez diária que tinha no Sofisa e após rapar meu "fundo de emergência" que estava no tesouro SELIC, finalmente consegui os R$ 5.000 para mandar para a BIVA. Se por um lado estou mais uma vez fazendo a besteira de me expor a riscos demais e levar uma vida de taxeira, por outro lado se o negócio der certo pode ser uma oportunidade de recuperar o dinheiro perdido no primeiro semestre de 2017 nas ações, tesouro direto, debêntures, fundos Imobiliários, etc.  Uma coisa que me deixou um pouco mais tranquila foi ver que o favorecido da transferência é a Socinal. Isso de certa forma mostra que existe uma financeira "de verdade" fazendo parceria com a BIVA. 

Fiz um TED um pouco receosa, e tenho que assumir que fiquei um tanto quanto nervosa com a demora da instituição para me confirmar que o investimento foi um sucesso...  portanto se você é daqueles que conta os minutos para ver o dinheiro cair na conta da corretora, fica o alerta de que na BIVA demora um pouco mais.

Estou um pouco cansada de tanto escrever... então continuo no post seguinte a segunda parte. Beijinhos, gente!!




sexta-feira, 30 de junho de 2017

Debêntures RDVT11 - Cronograma de pagamentos e detalhes

Você tem debêntures das Rodovias Tietê? Então tenho uma boa notícia para você... aqui vai um calendário de pagamentos, bem como uma estimativa dos valores a serem pagos (passíveis de atualização monetária e variações conforme a taxa de compra).

Se você ainda não possui essas debêntures, vou falar um pouco sobre ela. Lembro que não é indicação nem de compra nem de venda, já que não dou indicação de nada pois não sou profissional certificado da área de finanças. É apenas uma descrição do papel com minhas opiniões pessoais. A compra ou venda fica a critério de cada um, tá? O máximo que posso fazer é dar um mero palpite...  aí vão os dados:

Nome oficial: CONCESSIONARIA RODOVIAS DO TIETE S/A 
Código do papel: RDVT11
Data da emissão: 15/06/2013
Data do vencimento:  15/06/2028
Imposto de renda: Isento por ser debênture do tipo incentivada.
Taxa na emissão: IPCA + 8% 
Negociáveis? Sim, via BovespaFix e  CETIP
Podem ser vendidas antes do tempo? Sim
Paga "pingados"? Sim, semestralmente

Qual o valor mínimo para investir? Uma unidade, com valor atual de cerca de R$ 1100 a 1200

Como fazer para comprar? Via corretoras. As mais usadas são Easyinvest e Ativa, porém qualquer corretora de valores tem o produto, basta telefonar e pedir. A rentabilidade varia conforme a época... indo de 7% a mais de 10% acima do IPCA. Quanto pior estiver a situação da empresa, mais a cotação vai ficar acima dos 8% originais de lançamento. Se a empresa estiver muito sólida, a cotação pode cair abaixo disso.

A rentabilidade é isenta de imposto de renda, por se tratar de uma debênture "incentivada", ou seja, emitida por empresas que financiam a infra-estrutura no Brasil.

É seguro? Mais ou menos... a empresa anda passando por muitas dificuldades, e algumas pessoas questionam se ela vai conseguir honrar os compromissos. Existiram recentemente negociações entre empresa e debenturistas numa tentativa de adiar ou diminuir os pagamentos dos juros e aumentar o limite de endividamento da empresa.  Essa debênture tem garantias reais - que é a própria renda do pedágio, que será "empenhada" em caso de calote... mas sabe como é, né? É mais arriscado do que emprestar para sua mãe....

O pedágio está empenhado como garantia da RDVT11

Como funciona na prática o investimento na debênture das Rodovias do Tietê?
Funciona assim: você entra em contato com a corretora, e diz que tem interesse. Em geral eles definem um valor mínimo para você investir (em geral 5 cotas, ou 5 mil reais), mas essa limitação não é oficial, se você insistir consegue comprar uma cota só, ou seja mil reais. De posse das debêntures, você não precisa pagar nenhum tipo de taxa de custódia. A taxa de corretagem varia conforme a corretora, mas a maioria não cobra "nada". A cada 6 meses (em dezembro e junho) você recebe o pagamento da parcela de juros/amortização, normalmente de uns 50 reais por cota, que cai na sua conta na corretora. Isso até 2028, quando a debênture some, ou seja, "acaba" devido às amortizações graduais a cada 6 meses. Veja o calendário de pagamentos no começo do post... Se você precisar do dinheiro e quiser vender antecipadamente, você pode fazer isso sim, é claro que nesse caso vai perder um pouco de dinheiro por causa dos custos operacionais (chamados "spread"), além de que a venda vai ser feita na cotação "do dia", que pode ser maior ou menor conforme a data.

É importante saber que o investimento em debêntures é um pouco diferente do tesouro direto IPCA com juros semestrais. No caso do tesouro, o principal é mantido intacto, e atualizado pela inflação, sendo devolvido ao final do período. Já na debênture, junto com os juros, a cada semestre é devolvido um pouco do investimento inicial, de forma que no início o cupom é composto quase que somente de juros, e no final (em 2028) o cupom é composto quase que somente de amortização, igual ocorre com um financiamento de veículos:

Portanto, se você pretende investir em debêntures (ou CRI/CRA) tome cuidado pois este é um tipo de investimento por prazo determinado, com devolução gradual do valor investido. Essa modalidade de investimento, por ter essa característica, é ótima para se mesclar com investimentos que não "pingam" (como por exemplo CDB), para quem tiver atingido a tão famosa independência financeira, e assim poderá ter uma renda mensal constante, sem ter que fazer saques ou retiradas, como no exemplo de carteira abaixo:
Exemplo de alocação de ativos em uma carteira com objetivo de geração de renda mensal constante